Reportagem exibida pela Inter TV Cabugi - Natal-RN, sobre a pesca industrial do Atum na Costa do Brasil, filmado em abril de 2008, na embarcação Rocky da empresa Norpeixe.

O mercado de alimentos tem preocupado-se cada vez mais com a origem de seus produtospor isso, a rastreabilidade tornou-se um diferencial no mercado. O rastreamento permite identificar qualquer problema que possa vir a alterar a qualidade do produto, impedindo que este chegue ao consumidor final.

Os pescados são separados e classificados em nível de qualidade conforme as suas características de aparência (frescor, composição, musculatura, brilho da carne, textura) e das informações extraídas dos dados de rastreamento (procedência).

A ICCAT (comissão internacional de conservação do atum atlântico) estabelece cotas de pesca de atum no mundo para evitar extinção. O Brasil quer aumentar a sua, apesar de capturar mais de 40 mil toneladas por ano, ainda pode triplicar o seu número. O estado do Rio Grande do Norte, corresponde por mais de 50% da produção nacional, sendo 75% destinado à exportação.

Reportagem exibida pela Inter TV Cabugi - Natal-RN, sobre a pesca industrial do Atum na Costa do Brasil, filmado em abril de 2008, na embarcação Rocky da empresa Norpeixe.

O mercado de alimentos tem preocupado-se cada vez mais com a origem de seus produtospor isso, a rastreabilidade tornou-se um diferencial no mercado. O rastreamento permite identificar qualquer problema que possa vir a alterar a qualidade do produto, impedindo que este chegue ao consumidor final.

Os pescados são separados e classificados em nível de qualidade conforme as suas características de aparência (frescor, composição, musculatura, brilho da carne, textura) e das informações extraídas dos dados de rastreamento (procedência).

A ICCAT (comissão internacional de conservação do atum atlântico) estabelece cotas de pesca de atum no mundo para evitar extinção. O Brasil quer aumentar a sua, apesar de capturar mais de 40 mil toneladas por ano, ainda pode triplicar o seu número. O estado do Rio Grande do Norte, corresponde por mais de 50% da produção nacional, sendo 75% destinado à exportação.